Plataforma Científica Pasteur-USP oferece bolsa de pós-doutorado


Selecionado irá estudar em hospedeiros experimentais a interação de micro-organismos patogênicos que desencadeiam patologias cerebrais, especificamente o Trypanossoma Vivax, o Zika Vírus e o SARS-CoV-2. 

A Plataforma Científica Pasteur-USP (SPPU, na sigla em inglês) está com uma oportunidade aberta de pós-doutorado para estudar em hospedeiros experimentais a interação de micro-organismos patogênicos (animais e/ou humanos) que desencadeiam patologias cerebrais. Micro-organismos “selvagens” ou carreando genes para luminescência/fluorescência serão utilizados na análise de processos infecciosos através de imagens em tempo real não invasivas.

O bolsista participará em subprojetos associados que utilizam vírus ZIKV e SARS-CoV-2. Também adaptará culturas do parasita Trypanosoma vivax (PLoS Negl Trop Dis. 2011 Dec;5(12):e1461) para posterior estudo do processo (imuno)inflamatório in vivo e suas consequências no comprometimento das barreiras cerebral e hematoencefálica, usando técnicas de imunologia e de imagiologia 2D e 3D, em laboratórios de níveis 2 e 3 de biossegurança.

É necessária experiência prévia em parasitologia, virologia, biologia molecular e celular, imunologia e manuseio de animais de experimentação.

Com início previsto para o dia 1º de julho, a bolsa, no valor de R$ 8.479,20 mensais, é disponibilizada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Também será concedida uma reserva técnica equivalente a 10% do valor anual da bolsa para atender despesas imprevistas e diretamente relacionadas à atividade de pesquisa. 

As candidaturas estarão abertas até 30 de maio para brasileiros e estrangeiros. É necessário enviar carta de intenções, curriculum vitae ou currículo Lattes e duas cartas de recomendações por e-mail para Paola Minoprio (paola.minoprio@pasteur.fr). 

Sobre a SPPU: Localizada na Cidade Universitária, na capital paulista, em uma área de 1.700 m², a Plataforma Científica Pasteur-USP desenvolve pesquisas focadas em doenças infecciosas emergentes e negligenciadas, transmitidas por patógenos que causam respostas imunes complexas e distúrbios no sistema nervoso. A SPPU funciona como uma célula de emergência e seu principal objetivo é conter epidemias de doenças, com o desenvolvimento de métodos preventivos, de diagnósticos e terapêuticos. Possui 17 laboratórios, sendo quatro de nível 3 de biossegurança (NB3). A SPPU integra a Rede Pasteur, composta por 33 institutos de pesquisa em 25 países, e a Global Virus Network (GVN), rede global de estudos colaborativos sobre vírus, formada por cientistas de 36 países.