SPPU estreita relações com o governo do Estado de São Paulo

Plataforma Científica Pasteur-USP recebeu nesta quinta-feira (11/11) a visita do secretário estadual da Saúde,
Jeancarlo Gorinchteyn, com vistas ao estabelecimento de parcerias mais robustas. 

A Plataforma Científica Pasteur-USP (SPPU, na sigla em inglês), recebeu nesta quinta-feira (11/11) a visita do secretário estadual da Saúde, Jeancarlo Gorinchteyn. Ele veio acompanhado do cônsul geral da França, Yves Teyssier d’Orfeuil; do adido para a Cooperação e Ação Cultural da França, Patrice Pauc; da adida para a Ciência e Tecnologia, também da França, Nadège Mezié, além dos diretores do Instituto de Infectologia Emílio Ribas e do Instituto Adolfo Lutz – Luiz Carlos Pereira Júnior e Adriana Bugno, respectivamente. 

“O objetivo do encontro foi abrir caminhos para o estabelecimento de parcerias mais sólidas com o governo estadual nesta atual fase da SPPU”, afirmou Paola Minoprio que recebeu a comitiva ao lado de Luís Carlos de Souza Ferreira, ambos coordenadores da Plataforma. Sediada na USP desde julho de 2019, a SPPU está em processo de ganhar mais autonomia com a formalização de seu status como Instituto Pasteur do Brasil. “Nesse processo, o estabelecimento de parcerias mais robustas, que fomentem uma cooperação mútua, é muito importante para gerar um real valor agregado à saúde pública no Brasil”, frisou. 

Na visita, Minoprio fez uma apresentação do histórico da Plataforma e de sua estratégia científica no País, com pesquisas focadas em doenças infecciosas emergentes e negligenciadas, transmitidas por patógenos que causam respostas imunes complexas e que produzam distúrbios no sistema nervoso. 

Os integrantes da comitiva também conheceram as instalações da SPPU, que conta com 17 laboratórios, sendo quatro de nível 3 de biossegurança (NB3) – equiparáveis ao padrão europeu. “A SPPU integra a Rede Pasteur, composta por 34 institutos em 25 países; as parcerias que iremos estabelecer no Brasil e o diálogo com os parceiros possibilitarão a todos uma atuação muito mais ampla e profícua”, disse Minoprio.

O estreitamento das relações com os poderes públicos da França e do Brasil é muito importante nesta fase do projeto, pois orientará o sucesso da escolha da estrutura jurídica do Instituto Pasteur do Brasil, as estratégias de financiamento e uma maior visibilidade nacional e internacional.